Sob o teto de Shanghai

Viver nesse lado do mundo no meio desses bilhoes de pessoas, nos faz inevitavelmente passar por situacoes inusitadas, desesperantes e divertidas. Entao, vamos la’ registra-las e compartilha-las!

14 de maio de 2011

Em Terras Européias

Bom pessoal, já comecei o blog Em Terras Européias.

Deem uma passadinha para conferir as minhas novas histórias.

Beijocas a todos.

criado por Dora Dolabela    4:12 — Arquivado em: Sem categoria

8 de abril de 2011

Ultima noite, ultimo dia

Como e’ dificil fechar a porta pela ultima vez, mesmo com toda a experiencia de mudanca que temos. Fica para tras a historia de cada lugarzinho e vem pela frente a ansiedade e angustia diante do novo. Desafios instigam o futuro e a seguranca, que supostamente pensamos que temos, fica estremecida, ate’ que a gente consiga novamente restabelecer um novo lar, uma nova historia. E assim, somos levados pelo mundo afora, conhecendo culturas e povos diferentes.

Uns agradam, outros nem tanto. Vamos tecendo uma cultura propria, retalhos daqui e dali, tecidos suaves e asperos, coloridos e preto e branco, florais e lisos, bonitos e feios. Enfim, uma imensa colcha de estilos variados e ecleticos. Qual e’ mesmo o meu gosto?

Ah… vamos aprendendo tantas coisas. Compartilhando tantas outras. Vamos nos tornando pessoas do mundo e assim ele nos parece tao pequeno.

Amigos espalhados por ai, em cada continente, em cada pais uma amizade que ali fica. Bendita a era da informatica, bendita a internet na nossa vida. Nao nos perdermos mais por ai…

E por aqui o Sob o teto de Shanghai vai chegando ao seu fim… Nao que as estorias tenham terminado, elas continuarao em outro blog, que em breve divulgo por aqui mesmo.

Ate mais!!!

criado por Dora Dolabela    11:20 — Arquivado em: Sem categoria

28 de março de 2011

Últimos dias

Como ando atarefada! O mês de março foi uma correria só. Também, como é possível abraçar o mundo (mais especificamente, Shanghai) em apenas 30 dias? Dá canseira demais, e claro, coisas vão escapulindo dos braços. Tudo isso, porque estamos partindo da China… Mais uma mudança na minha vida. Com essa completo 18 mudanças residenciais, entre 10 cidades. Ufa! Nasci mesmo com sangue cigano nas veias. kkkk

E o que fica da China? Fica o meu blog com as minhas lembranças, minhas estórias, meus clics, minhas observações. Muitos assuntos não consegui contemplar aqui, talvez eu o faça no meu próximo destino. Acho que as comparações serão inevitáveis.

No ritmo desenfreado das compras, o que acomete todo mundo que daqui parte, encontrei “coisinhas” muito da moda. Olhem aí:

Fiquem tranquilos! Esse bicho consumista não me mordeu a esse ponto! kkkkkk

E para espairecer do ritmo frenético da mega metrópole, nada como paisagens assim:

Personagens chineses que fazem a vida acontecer!

Que alimenta o seu povo,

Será possível dizer que senterei saudades???? Por incrível que pareça, estou achando que sim…

criado por Dora Dolabela    4:20 — Arquivado em: Sem categoria

9 de março de 2011

Post culpado

Olá pessoal,

estou mesmo sumida… Sabe quando entramos naquele período de desmotivação total? Pois é! Não precisa explicar mais nada, não é?

Mas hoje… pensei no meu blog. Fiquei com remorso de o abandonar assim. E para melhorar a minha culpa, vim aqui fazer um postizinho… rsrsrsrs

Aqui em Shanghai tem mercado para tudo. A coisa mais interessante, fica tudo “organizado” dentro de um único espaço, reservado exclusivamente para aquele determinado comércio. E daí encontramos, os mercados de flores (como já postei anteriormente), o mercado das cortinas e roupas de cama, o mercado de frutas, o mercado de legumes e carnes, o mercado de peixes, o mercado de porcelana, os mercados de falsificados, os mercados de tecidos.

Nesses últimos, é possível encomendar um casaco de frio feito sob medida, tipo os sobretudos, por apenas uns R$150,00, em dois dias! Um terno completo, também feito sob medida, sai aproximadamente, o mesmo preço e também fica pronto em dois dias. Os homens saem de camisas de colarinho por R$25,00 e ainda leva uma gravata de 10. Para as mulheres, tem de tudo, desde o vestidinho básico de malha até as mais sofisticadas sedas, dos sobretudos às peças leves de verão.

São rolos e rolos de tecidos, todos emaranhados num cubículo de 1X1m, onde às vezes mal cabe o próprio vendedor, em lojinhas espalhadas em vários corredores, nuns 3 ou 4 andares.

Uma loucura total, numa explosão de poeira e cores!

O produto encomendado, na maioria das vezes, saí a gosto do freguês, principalmente os casacos de inverno. Em outras tantas, nem com muito ajuste o caimento fica a contento. Pelo preço pago, vale o risco, e como!

criado por Dora Dolabela    4:30 — Arquivado em: Sem categoria

20 de fevereiro de 2011

Flores

Já escrevi tantas vezes sobre os mercados de flores em Shanghai.

Agora chegou a vez de postar algumas fotos.

Vejam a verdade da maravilha que tento pôr em palavras.

Assim elas chegam:

Assim elas se transformam:

E o que fazem com as rosas? Metalizadas de purpurina!!!

Em todas as cores! Faltam as amarelas, douradas, prateadas, vermelhas e muito mais!

É um dos meus passeios prediletos. Também pudera!!!

criado por Dora Dolabela    8:55 — Arquivado em: Sem categoria

17 de fevereiro de 2011

Comemorações Ano Novo Chinês

Essa é a época do ano que o chinês mais gosta. Uma semana de feriado nacional. Outra semana de emendas, e quatro semanas de férias para alguns.

Muitas empresas fecham a sua produção por um mês, para que seus funcionários tenham a chance de retornar às suas cidades natal, e aproveitam o período, para as merecidas férias.

Nesse clima todo, o que não falta é festa. Com muita, muita fartura. É o momento adequado para os banquetes. E os patrões sempre organizam a festa de fim de ano com muita comilança, música e dança.

Eu tive a chance de participar de duas comemorações, regadas a muita comida e diversão. Primeiro, um show montado pelos próprios funcionários, várias peças apresentadas, com a habilidade de cada um. Piadas, dança, música. Depois, o jantar com um rodízio de variados pratos típicos.

Eu tentei e tentei postar uma foto das apresentações. Não consegui! Os personagens estão muito bem protegidos pelos direitos autorais, que eu não consegui, de jeito nenhum, fazer o download da foto!

E hoje terminam as comemorações. Após 15 dias de festejos, hoje a noite é encerrada com foguetório. Muito e muito barulho lá fora. Ave!!!

 

criado por Dora Dolabela    9:36 — Arquivado em: Sem categoria

2 de fevereiro de 2011

Ano do coelho

Estamos em véspera do Ano Novo Chinês! E o pequeno animalzinho, gracioso e peludo da vez, é o coelho.

O povo chinês já entrou em comemoração desde há alguns dias atrás. E exatamente nessa hora, 17:00, estou ouvindo milhares de fogos de artifício estourando lá fora. O que ouço agora ainda é pouco, diante do que está por vir. A meia-noite o chinês enlouquece, eles soltam fogos por mais de horas seguidas, sem intervalo. Nada comparado com a nossa tradicional queima, de meia de hora, em Copacabana. E eles não ficam satisfeitos por aí não. Os próximos quinze dias serão iluminados e barulhentos. É um espetáculo e tanto!

Hoje saí às ruas. Fiquei maravilhada com a calmaria. Nada de trânsito, nada de pessoas. Alguns comércios timidamente abertos e a maioria de portas fechadas, para a comemoração mais esperada do ano. Em Shanghai, acontece um êxodo incrível. Como aqui é enormente povoado por forasteiros, que vem tentar a vida, nessa época eles todos voltam a cidade natal, para celebrar junto aos seus familiares. As passagens de trem, ônibus ou avião esgotam. E quem tentou um ticket de última hora, teve que dormir na fila, ao sabor do frio congelante da madrugada.

Já que estamos entrando na regência do coelhinho, que tal falarmos dele um pouquinho?

Os anos do Coelho: são 1999, 1987, 1975, 1963, 1951, 1939, 1927, 1915…

As horas governadas pelo Coelho: 5 a.m. às 7 a.m.
Sentido do seu Signo: Directamente para o leste
Princípio da estação e mês: Primavera - Março
Corresponde ao Signo ocidental: Peixes
Elemento fixo: Madeira
Haste: Negativo
Cor: Cinza
Sabor: Salgado
Alimento: Peixe
Bebida: Vinho Francês
Condimento: Pimenta
Animal: Esquilo
Planta: Rosemary
Árvore: Vidoeiro prateado
Metal:
Bronze
Instrumento musical: Tambor
Dia do Mês: 8
Número: 20

Ano do Coelho

Um ano calmo, muito bem vindo e muito necessitado após o ano feroz do tigre. Nós devemos apagar alguns pontos, curar as nossas feridas e começar com algum descanso após todas as batalhas do ano precedente.

O bom gosto e refinamento brilharão em tudo e as pessoas reconhecerão que a persuasão é melhor do que a força. Uma época harmoniosa em que a diplomacia, as relações internacionais e a política darão um grande passo outra vez. Nós agiremos com discrição e faremos concessões razoáveis sem demasiada dificuldade.

O momento de prestar atenção ao que se passa à nossa volta. A influência do coelho tende a estragar os momentos de mais conforto despertando e relevando a eficácia e o sentido do dever.

A lei e a ordem serão as máximas deste ano; as regras e os regulamentos deverão ser cumpridos. No entanto, ninguém parece incomodar-se muito com estas realidades desagradáveis. Estão mais ocupados em se apreciar ou simplesmente a  fazer coisas fáceis. O cenário é quieto e calmo, deteriorando-se ao ponto de provocar sonolência. Nós todos teremos uma tendência para pôr de lado as tarefas desagradáveis por um período o mais longo possível. 

Pode ganhar-se dinheiro sem muito trabalho. O nosso estilo de vida será lânguido e cheio de lazer. Um ano temperado com ritmo lento. Pode-nos parecer possível ser feliz sem demasiados cuidados.

Personalidade

As pessoas do Coelho são benevolentes, calmas e responsáveis. Envolvidas frequentemente em cosméticos ou em fármacos. Evitam o confronto sempre que possível mas mostram bravura quando é necessário.

Uma pessoa nascida no ano do coelho possui um dos mais afortunados dos doze signos animais. O coelho, ou “hare” como é designado na mitologia chinesa, é o emblema da longevidade e é dito que a sua essência deriva da lua

O coelho simboliza a graciosidade, as boas maneiras, conselhos sadios, bondade e sensibilidade à beleza. O seu discurso delicado e maneiras graciosas preenchem todos os traços desejáveis de um diplomata bem sucedido ou de um bom político.

Do mesmo modo, uma pessoa nascida sob este signo procurará ter uma vida tranquila, apreciando a paz, a quietude e um ambiente harmonioso. É reservado e artístico e possui um bom julgamento. O seu comportamento far-lhe-á também ser um bom aluno. Brilhará nos campos da lei, da política e do governo.

Pode parecer um pouco estranho e por vezes parecer deslocado do ambiente ou ficar indiferente.

O coelho é extremamente afortunado no negócio e em transacções financeiras. Astuto em negócios impressionantes, pode sempre aparecer com uma proposta acima ou uma alternativa apropriada para benefício dele mesmo. A sua queda para o negócio, acompanhada com o seu jeito de negociação, assegurar-lhe-á uma ascensão rápida em toda a sua carreira.

Embora o coelho possa mostrar-se indiferente às opiniões dos outros, ele aprecia a crítica. Ele prefere ser interlocutor do que técnico da luta, pode iludir-se mas também pode arquitectar e fazer uso quando lhe convém. A pessoa do coelho tanto pode ser delicada com quem ama, como pode ser superficial e mesmo rude nas suas relações com os de fora. Suave e auto indulgente, aprecia os confortos da vida e gosta de os destacar nos seus desejos. Acredita sinceramente que não custa nada às pessoas poderem ser agradáveis e fará sempre um esforço nesse sentido. 

O coelho tem uma  natureza dócil, quieta e enganadora, uma pessoa do coelho possui uma vontade forte e uma auto segurança quase narcisista. Persegue os seus objectivos com precisão metódica mas sempre de uma maneira única.  Não fará ondas. O traço especial que torna a pessoa do coelho um negociador formidável é o seu instinto. É sempre difícil avaliar correctamente os seus pensamentos.

O coelho geralmente tem maneiras impecáveis. Raramente usa palavras ásperas e nunca recorrerá a palavrões para se fazer ouvir. Tem as suas próprias técnicas. O coelho podia esconder-se debaixo desse casaco grosso de decência para dominar os seus opositores. As suas credenciais são geralmente impecáveis ou pelo menos muito boas.   O que existe de mais simpático, o coelho tem. Agora compreende porque é que o Bugs Bunny começa sempre com as suas cenouras em todas aqueles filmes animados?

Ás vezes o coelho pode aparecer um bocado lento ou excessivamente deliberado, mas isto é devido ao seu sentido nato de cuidado e discrição. Uma coisa é certa, lê sempre a cópia por mais simples que seja antes de assinar qualquer original. O coelho é conhecido pela sua capacidade de avaliar pessoas, situações, e ganhar recursos à sua maneira.

O Coelho é muito compreensivo com os seus amigos:  bom colega de trabalho e bom amigo para partilhar histórias. É uma companhia relaxante. Tem muita energia para as coisas que gosta de fazer e pode  planear o casamento de um amigo até ao último detalhe sem se cansar, mas se sentir magoado de alguma forma ou lhe parecer ter motivo para, largará tudo de imediato sem olhar para trás. Essa é a parte filosófica do coelho.  O segredo é saber quando as suas baterias necessitam de recarregar, e ninguém tem um conhecimento melhor de cronometrar isto do que o coelho.

Quando todos se começarem a matar com arremessos loucos por ganância, o coelho sabe que o mundo estará ainda aqui amanhã. Assim, para quê a pressa? Por que é que você não se senta ? Provavelmente far-lhe-á um chá agradável e ajudar-lhe-á a esquecer de tudo que se passa lá fora.

Em qualquer situação, você pode sempre confiar no coelho para estar no controlo. Observará o número da matrícula do carro junto ao portão ou recordará que o ladrão usava calças de ganga ou ténis brancos. E quando você estiver no arquivo da estação de polícia, ele recordará calmamente todos os detalhes e ajudar-lhe-á a responder a todas aquelas perguntas irritantes.

O coelho é quem sabe realmente viver. Não é um amante do desporto ou um disciplinado com olho atento. Não gosta de se sentir embaraçado em público. É perito na arte de não dar a cara e de não expor os seus sentimentos.

Não tenha nenhuma dúvida - ele faz anotações mentais dos seus erros e progride. É bem aceite por todos e popular. Uma vantagem desta filosofia é que o coelho faz poucos inimigos e assim raramente tem problemas. As pessoas respondem-lhe de forma generosa, deixando-o passar.

Ninguém tem uma orelha para emprestar mais simpática do que o coelho (excepto a cabra) se você precisar. Mas quando for um orador excelente e um ouvinte passivo, fará do papel um excelente conselheiro. É, sobretudo, um intelectual, um realista e pacifista. Não o espere ver sair voando até si. Isso seria pedir demais. O coelho emprestar-lhe-á o dinheiro para o advogado ou afiançá-lo-á para o por fora da cadeia se tiver recursos para isso. E se você começar a tornar-se demasiado  incómodo, pode contar com ele porque rapidamente fará uma saída rápida e graciosa da sua vida.

A senhora refinada do Coelho não pensará duas vezes em  casar com um bom milionário antiquado em vez de um homem considerável mas sem um tostão.  Esta vontade dá-lhe as vantagens e os luxos que exige como necessidades. O seu homem deve ser poderoso o bastante para a  proteger e suportar o seu estilo, deverá ser suficientemente sensível  para desaparecer quando a mulher coelho não quer ser perturbada.

Quando lhe é dada a escolha, o coelho votará por uma vida fácil e boa. Gastarão toda a roupa de alta costura. Sweaters de caxemira, blusas de seda pura e linho, e tecidos duráveis. Um vison ou um chinchilla colocado sobre o ombro com um ar bem calculado podiam também identificar o nativo elegante do coelho. Os projectos geométricos ou chocando-se ofendem o sentido de conformidade do coelho e do seu equilíbrio.

Quando gracioso com os amigos e colegas de trabalho, a pessoa do coelho pode ser um tanto distante da sua própria família ou simplesmente ser repelida pela rotina e por deveres domésticos. Podem não gostar de relações muito próximas. 

O Sr. Coelho é um cavalheiro singular. Move-se com graça, encanto e gentileza, apesar do facto que quando dá os seus elogios, bebe também o seu melhor vinho. Sim, o coelho gravita para a nata da sociedade e o sabor do “dulce fare niente”. 

No seu melhor, o coelho é admirado pela suavidade dos seus gestos e inteligência e é procurado pelos seus conselhos sensíveis. No seu pior, é demasiado imaginativo, sensível ou apenas indiferente. Evita o contacto com o sofrimento ou com a miséria humana, como se fosse alguma doença altamente contagiosa.

O coelho não é de modo nenhum fácil de prender. Pode também tornar-se muito repressivo na sua predilecção para o segredo e privacidade. Quando a pessoa do coelho se sente ameaçada, a sua subtil ninhada ou o antagonismo escondido poderiam ser expressados pelo uso de tácticas subversivas. Joseph Stalin e Fidel Castro são exemplos destes coelhos.

Por todas as suas qualidades positivas, um nativo deste signo avaliar-se-á como acima de todos os outros. Quando abusa demasiado, rejeitará qualquer coisa ou qualquer um que ouse alterar a calma da sua existência. A sua opinião é conhecida por ser flexível e tem o jeito de jogar ambos os lados pelo seguro. A segurança podia ser uma obsessão dos tipos mais fracos deste signo; raramente se encontra um coelho nas áreas de risco elevado.

Este amor com aversão pelo conflito pode dar ao coelho uma reputação de fraco, oportunista e auto-indulgente. Ao contrário do dragão, o cão, o tigre, ou o galo,  todos apreciam uma luta ou discussão amorosa de vez em quando, e podem mesmo prosperar nela, o coelho não têm predisposição para o combate. Não nasceu para ser um guerreiro. Tem um funcionamento mais eficaz atrás das cenas. Não se preocupe com o bem estar do coelho. É ágil e sagaz ,está armado com um bom sentido para  manter-se fora de qualquer dano. Ao contrário de outros signos, que podem perseguir ideais elevados, o objectivo principal do coelho na vida é simplesmente a auto-preservação.

O ano do coelho é reconhecido por trazer a paz ou ao menos um respeito pelo conflito ou  guerra. Do mesmo modo, o seu nativo fará tudo ao seu alcance para restaurar a harmonia ou sairá de cena.

A pessoa do coelho é hospitaleira e um anfitrião maravilhoso. Companhia agradável e meiga, tem sempre uma palavra boa para dar a todos. Mas não se deixe enganar por ele. Sabe mais do que dirá e você pode facilmente reconhece-lo pela sua “finesse”. Será o seu melhor  amigo desde  que não lhe peça demasiado. 

O coelho é mais compatível com os nascidos no ano da cabra. Compartilharão do mesmos gostos assim como no campo do conforto material. Igualmente bem composto será um relacionamento com a pessoa do cão ou o nativo honesto do porco. O rato, o dragão, o macaco, o boi, a serpente e o coelho poderão ser as suas segundas escolhas. Mas não poderá tolerar a vaidade ou o criticismo do galo, é pouco impressionável pelo dramatismo do tigre e não aprecia as maneiras rapidamente moderadas do cavalo.

Resumindo, o Hare pula simplesmente sobre obstáculos no seu trajecto e recupera das calamidades de forma  notável. Não importa como é lançado, aterra sempre em pé. Não pode ser chegado à família mas fará todos os  esforços para fornecê-los com o melhor de tudo. O seu aspecto macio e vulnerável é protegido por uma armadura de caução e sagacidade. Na vida, o coelho evitará de o conflito a todo o custo, a menos que, naturalmente, o afecte directamente, se for o  caso tomará as medidas apropriadas para proteger os  seus interesses.

Não há nenhuma luta interna no grande coração do coelho entre as forças do bem e do mal. Acredita na sua própria capacidade de sobreviver, confia em seu próprio julgamento e está em paz com ele próprio. O seu signo é o mais apto para encontrar a felicidade e o contentamento.                                                                                                               Fonte:http://www.hoops.pt/astrologia/coelho.htm

Para encerrar, desejo a todos vocês um ”shin nian kuai le!” (FELIZ ANO NOVO!) 

criado por Dora Dolabela    6:26 — Arquivado em: Sem categoria

31 de janeiro de 2011

Engenho chinês

Esse aí é um assunto para não pôr defeito. Impressionante como chinês brinca de cimento e tijolos, como se estivessem brincando de massinha e Lego.

Aqui perto de casa, estão construindo um mega condomínio, que ocupará dois quarteirões inteiros! Num deles serão mansões, no outro, uns 15 edifícios. Eles crescem em ritmo gemelar, ou seja, na mesma velocidade e altura. Todos estão sempre equiparados no mesmo andar. Dá para imaginar quantos trabalhadores nessa obra desenfreada?

Outro fato “absurdo” são os viadutos. Como são altos, é claro, para que se teça um emaranhado deles num mesmo complexo. Estava passando no mais alto deles, abaixo existiam mais 4, fiiquei a me perguntar a quantos metros de altura estávamos. Ao nosso lado, estava um conjunto de prédios, contei, na altura dos meus olhos, os andares. Décimo quinto, ou seja, estávamos a uma altura, de mais ou menos, 45 metros. Para um viaduto? Está falando sério?! E abaixo dele, cruzavam mais quatro, em alturas diferentes.

Fora isso, alguns dos viadutos, que são centenas em Shanghai, são pintados por baixo. Não fica simplesmente no concreto não! Pintados de bege! E para alegrar ainda mais um pouquinho, possuem floreiras, constantamente floridas, em toda a extensão.

Ah, estava esquecendo-me do detalhe das luzes neon. Sim, luz neon azul, fazendo um sombreamento num longo trecho.

Bom, esses dois úlitmos luxos, ficam em viadutos bem próximos ao centro da cidade. ‘

Abaixo, deixo registrado algumas fotos que tirei naqueles dias de engarrafamento. Queria mesmo era ter a chance de descer do carro e fazer fotos mais “profissionais”. Desculpem aí o amadorismo. hehehe

criado por Dora Dolabela    6:01 — Arquivado em: Sem categoria

27 de janeiro de 2011

Tristeza permitida

Hoje não falo sobre a China, hoje falo sobre a vida.

O título não é meu. Recebi um texto de autoria da Martha Medeiros (jornalista e escritora brasileira) que expõe sobre a tristeza. Achei o texto interessante e o repassei para alguns amigos da minha lista de contatos. O mais interessante foi a repercussão que o tal rendeu.

Acho mesmo que o assunto - tristeza - mexa muito com o ser humano. A sociedade a banaliza  e não a aceita em seu meio. Incomoda demais.

Pois bem, aí está o texto. E logo a seguir, estarão os comentários que recebi, sem os seus autores, claro.

“Se eu disser pra você que hoje acordei triste, que foi difícil sair da cama, mesmo sabendo que o sol estava se exibindo lá fora e o céu convidava para a farra de viver, mesmo sabendo que havia muitas providências a tomar, acordei triste e tive preguiça de cumprir os rituais que faço sem nem prestar atenção no que estou sentindo, como tomar banho, colocar uma roupa, ir pro computador, sair pra compras e reuniões – se eu disser que foi assim, o que você me diz? Se eu lhe disser que hoje não foi um dia como os outros, que não encontrei energia nem pra sentir culpa pela minha letargia, que hoje levantei devagar e tarde e que não tive vontade de nada, você vai reagir como?
Você vai dizer “te anima” e me recomendar um antidepressivo, ou vai dizer que tem gente vivendo coisas muito mais graves do que eu (mesmo desconhecendo a razão da minha tristeza), vai dizer pra eu colocar uma roupa leve, ouvir uma música revigorante e voltar a ser aquela que sempre fui, velha de guerra.
Você vai fazer isso porque gosta de mim, mas também porque é mais um que não tolera a tristeza: nem a minha, nem a sua, nem a de ninguém. Tristeza é considerada uma anomalia do humor, uma doença contagiosa, que é melhor eliminar desde o primeiro sintoma. Não sorriu hoje? Medicamento. Sentiu uma vontade de chorar à toa? Gravíssimo, telefone já para o seu psiquiatra.
A verdade é que eu não acordei triste hoje, nem mesmo com uma suave melancolia, está tudo normal. Mas quando fico triste, também está tudo normal. Porque ficar triste é comum, é um sentimento tão legítimo quanto a alegria, é um registro de nossa sensibilidade, que ora gargalha em grupo, ora busca o silêncio e a solidão. Estar triste não é estar deprimido.
Depressão é coisa muito séria, contínua e complexa. Estar triste é estar atento a si próprio, é estar desapontado com alguém, com vários ou consigo mesmo, é estar um pouco cansado de certas repetições, é descobrir-se frágil num dia qualquer, sem uma razão aparente – as razões têm essa mania de serem discretas.
“Eu não sei o que meu corpo abriga/ nestas noites quentes de verão/ e não me importa que mil raios partam/ qualquer sentido vago da razão/ eu ando tão down…” Lembra da música? Cazuza ainda dizia, lá no meio dos versos, que pega mal sofrer. Pois é, pega mal. Melhor sair pra balada, melhor forçar um sorriso, melhor dizer que está tudo bem, melhor desamarrar a cara. “Não quero te ver triste assim”, sussurrava Roberto Carlos em meio a outra música. Todos cantam a tristeza, mas poucos a enfrentam de fato. Os esforços não são para compreendê-la, e sim para disfarçá-la, sufocá-la, ela que, humilde, só quer usufruir do seu direito de existir, de assegurar seu espaço nesta sociedade que exalta apenas o oba-oba e a verborragia, e que desconfia de quem está calado demais. Claro que é melhor ser alegre que ser triste (agora é Vinícius), mas melhor mesmo é ninguém privar você de sentir o que for. Em tempo: na maioria das vezes, é a gente mesmo que não se permite estar alguns degraus abaixo da euforia.
Tem dias que não estamos pra samba, pra rock, pra hip-hop, e nem pra isso devemos buscar pílulas mágicas para camuflar nossa introspecção, nem aceitar convites para festas em que nada temos para brindar. Que nos deixem quietos, que quietude é armazenamento de força e sabedoria, daqui a pouco a gente volta, a gente sempre volta, anunciando o fim de mais uma dor – até que venha a próxima, normais que somos.”

“Dora, Somos o que somos, sem tirar nem por…A nao ser aqueles que colocam as mascaras de Pierrot e Arlequim e saem pelas ruas ,chorando e rindo por qualquer motivo…Seria bom o meio termo,mas como nao existe…aceitemos os outros como sao…as qualidades e defeitos…sem mais nem menos…pois se os mudarmos nao seriam aqueles que amamos… Nunca fico triste ao acordar pois o simples abrir de olhos,e sentir a vida…que maravilha….estou viva…para mim esta e a felicidade…sentir a vida com todas as nuances que ela implica… Doenca e doenca… estou falando de pessoas normais…”

“Dora, me permita uma observação, ainda que se trate de um texto de alta qualidade e densidade.
Só um breve comentário quanto ao conteúdo da frase: “ Sentiu uma vontade de chorar à toa? Gravíssimo, telefone já para o seu psiquiatra.”
Parece uma “força de expressão” e possivelmente é, mas reflete, ainda que inconscientemente, um paradigma comportamental: “sentiu dor de dente, procure o seu dentista, sofreu algum desfalque no seu negócio, procure o seu advogado, etc.”
Só que, ao que eu saiba, nenhum de nós, mortais comuns,  tem “um psiquiatra”…
Na verdade, pessoalmente eu conheci tão somente um, marido de uma pessoa conhecida.
Daí essa minha estranheza quanto a esta expressão “o seu psiquiatra”, que vejo muito por aí.  
Seria ela própria, sintomática,  de quem efetivamente tem “o seu psiquiatra”?  Não vejo outra resposta para esta indagação.
O que será que significa ter  ”o seu psiquiatra”?  Mas é verdade:  neste caso aqui vem com uma  forte dose de ironia.
Bem, o texto é brilhante e nos faz pensar.  
Apenas que, quando me senti assim, triste, etc, -(e isso acontece vez em quando)-, 
jamais me passou pela cabeça procurar “o meu psiquiatra” …
Talvez eu deva estar em desintonia com mais essa necessidade moderna de consumo, ”básica”,  (hehehehehe).”

Caro leitor, nós estamos vivendo o individualismo acirrado e o egoísmo impera na nossa sociedade, altamente competitiva. Tudo é o tal do MEU, inclusive o meu psiquiatra - mais uma necessidade imposta - que é aquele que me dá bolinhas mágicas e poções milagrosas para eu enfrentar o mundo que me massacra. Você já tem o seu?! rsrsrsrs

E então, esse texto choca ou não?

criado por Dora Dolabela    6:10 — Arquivado em: Sem categoria

23 de janeiro de 2011

Lombriga? Onde?

Segundo o dicionário Michaelis, a tradução de worm é : n 1 bicho, verme, gorgulho, gusano, caruncho, lombriga, larva, minhoca, traça, lagarta.

Quem escolheu o nome dessa lanchonete, devia estar com solitárias no cérebro! rsrsrsrsrsrs

Por mais feliz e bonitinha que seja essa minhoca do logo, dá para ter coragem de experimentar qualquer coisinha nesse estabelecimento?

Vai que você pede um hamburguer e vem com carne de minhoca?  Ou um suco feito de lagarta?

Pode até ser que seja ultra, mega nutritivo, mas vai… Você teria coragem??? Nem por um prêmio trilhionário, como no programa americano Fear Factor Extreme. Um reality show onde os seus participantes são colocados às mais duras provas de terror! Já assisti gente tendo que mastigar um suco cheio de “worm” , e vomitar logo em seguida. Esse aí perdeu pontos, pois não pode por pra fora.

Na hora que passei em frente a essa lanchonete, ela estava vazia. Será mesmo que enche???

criado por Dora Dolabela    5:07 — Arquivado em: Sem categoria
Posts mais antigos »
Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://sobotetodeshanghai.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.